Existem muitas palavras e regras da língua portuguesa que confundem na hora de escrever; às vezes, fica difícil gravar tudo.

Mas há alguns erros comuns que podem ser evitados; basta usar a lógica. O uso indiscriminado do “onde” é um deles.

A palavra “onde” é advérbio de lugar, ou seja, indica… Lugar! E não coisa, horário, quantidade… Veja:

  • Estão fazendo estudos sobre o medicamento, onde pode ser a cura para a doença.

Nesse caso, invés de “onde”, use o “o qual”, “que” – “medicamento” não é lugar:

  • Estão fazendo estudos sobre o medicamento, o qual/que pode ser a cura para a doença.

É errado usar “onde” para indicar o que não é um lugar. Ele deve ser substituído por termos como: que, em que, no qual, nos quais, quando, de maneira que melhor se adapte na frase. Veja mais exemplos:

  • Assisti ao espetáculo onde o vilão vira o mocinho –> Errado
  • Assisti ao espetáculo em que o vilão vira o mocinho –> Correto
  • Estou vivendo uma época onde devo conter os gastos –> Errado
  • Estou vivendo uma época em que/na qual devo conter os gastos –> Correto
  • Este é o filme onde falei com você –> Errado
  • Este é o filme do qual falei com você –> Correto
  • Não gosto de filmes onde há violência –> Errado
  • Não gosto de filmes em que/nos quais há violência –> Correto

Parece óbvio? Mas, infelizmente, esse erro é muito mais comum do que se imagina! Preste atenção ao escrever ou ler o texto dos outros.

Quando o uso é certo?

  • Fiz matrícula na academia onde meu irmão treina.
  • O bairro onde ela mora está condenado.
  • Você tem ido ao restaurante onde os pratos são orgânicos?