Antes de começarmos, itálico é quando a letra fica assim, levemente inclinada à direita. Você já deve ter visto em textos variados, em jornais, revistas, sites, livros ou até em trabalhos acadêmicos.

O estilo de escrita em itálico é usado para destacar o título de alguma obra, nome de jornais e revistas, gírias, expressões e palavras estrangeiras.

Mas no caso específico das palavras estrangeiras, é preciso bom senso. Mundo ideal: evitar ao máximo usá-las. Mas, quando não tem como, lembre-se de que as já populares na Língua Portuguesa não exigem mais o itálico.

Alguns dos exemplos são: baby, bacon, backup, deadline, email, freezer, gospel, internet, marketing e online, entre outras. Veja uma lista completa publicada no Manual de Comunicação da Secom, no site do Senado Federal.

Lista de palavras estrangeiras populares tende a crescer

Recentemente, temos visto mais algumas estrangeiras preenchendo textos, e não há sinais de que elas serão substituídas por um termo em português, como webinar e live. E aí, devem ser colocadas em itálico?

Sabemos que há a regra, mas apostamos muito no bom senso também. A Ventura Comunica recomenda que, caso você use essas palavras uma vez ou outra, coloque-as sim em itálico; mas se você fizer um texto falando sobre os webinars que sua empresa apresentará em julho, e perceber que a palavra será usada muitas vezes nesse texto, a opção é por não usar o itálico, ou o excesso de itálico deixará o texto poluído.

Acreditamos que, em pouco tempo, essas duas palavras, dentre outras, tendem a ser incluídas na lista das que não precisarão mais de itálico, pelo uso comum em português. Nesse meio tempo, analise com calma quando vale a pena usá-lo, para não tornar o seu texto uma sequência sem fim de termos em itálico.